Grunge Tumblr Themes
Rock and Rage

Se tem uma coisa que me irrita nesta vida, são pessoas que “endeusam” outras pessoas, que tratam alguém como se fosse a melhor pessoa do mundo, ainda mais quando é por um motivo sem a mínima importância.

Ultimamente, tenho presenciado pessoas elogiando ao extremo outras pessoas por motivos tão idiotas que podem ser comparados a amarrar ao sapatos (talvez não tão fáceis, mas tão dignos de elogio quanto).

Então, sociedade (por mais que você não esteja lendo este post), eu gostaria de dizer que você me da nojo !!! É isso mesmo ! Eu sinto uma coisa muito ruim quando presencio coisas do tipo, eu fico pensando “Onde está a auto-estima da pessoa que endeusa uma pessoa desta forma ?!”.

Você precisa aprender uma coisa: não é porque uma pessoa faz algo que você não imagina como faz, fez uma coisa que não costumam fazer muito, ou fez uma coisa que pra você faz todo sentido mas você nunca tinha pensado nisso, que você precisa criar um altar na sua casa com velas e a foto da pessoa !




O fato se agrava quando o “deus" em questão fez uma coisa mal feita, e o "adorador" não nota isso, ou simplesmente ignora o fato, e continua repetindo os mesmo elogios (que neste caso poderíamos chamar até de orações). É só minha opinião, mas eu acho isso MUITO CHATO !

Se é pra endeusar assim tanto alguém, por que não criar um regime totalitário e fazer desta pessoa o ditador então ? Poupe o resto do mundo de saber se você acha super interessante uma pessoa que faz algo que você não tem capacidade !

Se você leu até o final, obrigado pela atenção. 

Note a diferença:

  • Um trabalhador privado não esté feliz com suas condições de trabalho, com o modo com que ele tem que fazer as coisas, seu salário e a duração da sua jornada de trabalho. Ele recorre ao sindicado de sua profissão, ou vai conversar direta e civilizadamente com seu patrão. Na maioria dos casos: Problema resolvido.
  • Um trabalhador público não está feliz com suas condições de trabalho, com o modo com que ele tem que fazer as coisas, seu salário e duração da sua jornada de trabalho. Ele junta-se com alguns colegas de trabalho, alguns destes que nem acha ruim seu trabalho, alguns que estão extremamente satifeitos, e faz uma greve, uma paralisação. Na maioria dos casos: O Governo enrola, e enrola, e dá uma pequena diferença no seu salário, o povo fica achando que alcançou seu objetivo.

Qual a diferença entre o primeiro e o segundo ?

Sim, se você respondeu “o primeiro realizou uma forma racional e mais efetiva de que o segundo”, você está certo !

O fato que o brasileiro, principalmente o empregado público, não entende, é que nem tudo se resolve com “violência”, paralizações, grandes reclamações públicas e coisas do tipo.

Pense bem, quem mais fica agressivo, faz vexame público e fica parado para chamar atenção ? Sim, as crianças !



O brasileiro precisa notar que atitudes infantis não tem influência política alguma, e tentar resolver se uma forma mais racional e “dura” é a solução.

Um outro erro do brasileiro, é pensar que está prejudicando apenas os governantes com estas atitudes de bebê, mas não ! Estes atos influem diretamente na vida de todo cidadão deste país, e pode prejudicar, e muito, um remoto futuro promissor do Brasil.

Primeiramente, se a greve em questão é de uma escola, ou melhor, de um hospital ! Centenas de pacientes estão no hospital, em estados lamentáveis, doenças graves, partos, pacientes em coma, e etc. Estando as coisas assim, os médicos resolvem parar de trabalhar para reclamar por melhores condições de trabalho. Mas e os pacientes, ficam como ? Fazem uma greve por melhores condições de atendimento ?!

O pior de tudo, é que mesmo fazendo greve, o cidadão não usa este tempo “livre” durante a greve para protestar pelos seus direitos, buscar informações sobre o que pode ser feito ou coisa do tipo, não ! Ele fica em sua casa, tomando sua “cervejinha”, levando tudo ao jeitinho brasileiro, e vai achando que é assim que tudo tem que ser…

Não estou culpando o brasileiro por protestar, acho o ato de protestar totalmente válido, estou dizendo que o brasileiro não sabe protestar da maneira correta ! Começando por perceber que tudo está errado.

Em uma rápida busca, encontrei que o salário inicial médio de um médico no Brasil é de aproximadamente R$ 1.110,00. Um valor nada mal como um valor inicial, certo ? Mas sabe o que é revoltante ?

Um médico, uma pessoa que salva vidas todos os dias ganhando R$1.100 por mês, enquanto um jogador de futebol, que só serve para chutar um círculo de borracha ou microfibra e tudo mais ganha mais de R$ 100.000 em um único mês.

Isto está errado, população ! Desculpem fanáticos por futebol, mas o esporte não é algo que deveria receber tanto incentivo fiscal assim, ganhando salários imensos deste modo. Porque não investir em educação e saúde ?

Investindo em educação, mais pessoas teriam informação o bastante para não lotar os hospitais de casais tristes que tiveram um filho por acidente, nem lotá-los de gente doente, gente prestes a morrer, agonizando, por ter pego algo relativamente fácil de curar, se a porcaria do médico público mal pago não simplesmente olhasse pro paciente e dissesse “está tudo bem, pode ir”, sem saber que uma pessoa assim pode ter AIDS, estar com algum problema no coração e coisas do tipo.

Entendendo isso, acorde população ! Fazer greve pode ajudar a reivindicar no Governo ? Sim, pode, mas de que adianta fazer isso se a população afunda junto e as coisas vão ficando cada vez mais difíceis…

Televisão, internet, rádio (mesmo que em menor intensidade), revistas, a mídia em geral sempre teve uma grande influência sobre a população em geral. É ela quem “dita” como os cidadãos se comportam, como veem o mundo, o decorrer dos fatos, o mundo das “pessoas importante”, entre outros.

Mas de uns tempos pra cá, a mídia passou a exagerar no modo em como chamar a atenção do interlocutor, e abusa da falta de ética, dp desrespeito não só com quem assiste, mas também com quem participa da própria mídia.

Vemos todos os dias programas sensacionalistas, que cobrem acidentes, assaltos, entre outros acontecimentos do tipo, que tratam como se fossem fatos comuns, onde, se uma pessoa se acidentar e ficar presa entre as ferragens agonizando, não é nada duvidável de que o repórter irá entrevistá-lo ali mesmo, simplesmente para que sua emissora fique “na frente”. Onde está o respeito ?

Também há casos onde algum familiar está em estado de choque, por ter perdido um ente querido, onde o melhor a se fazer é apoiar a pessoa, deixá-la em paz, apenas o apoio moral basta, mas não ! O repórter insiste em perguntar mais e mais sobre a vítima do acontecimento, a causa de sua morte, como era a vida da pessoa antes do fato, e pior !!! Se a família está triste !!!

Outro fator que mostra o total descaso da mídia em respeitar quem participa dela, são a falta de privacidade da mídia para com artistas e famosos. Aparenta-se que nos dias de hoje, ninguém que tem um certo nível de fama pode ter uma opinião diferente das demias, e as vezes nem diferente é, que já vira motivo de mil e uma entrevistas, matérias na TV, destaque em revistas…

Atualmente temos o caso da cantora Sandy, que revelou sua opinião e experiência a respeito de seu comportamento sexual. Está certo o fato de que Sandy sempre se mostrou uma pessoa comportada, mas ela cresceu, ela é adulta, e pode fazer o que bem entende da vida. Fazer um comercial de cerveja não fará com que ela mude, e toda vez que comenta qualquer coisa relacionada a sexo, tudo vira uma polêmica sem tamanho. Pra que ?! Ela é uma mulher casada, maior de idade e independente, e tem todo o direito de fazer o que bem entende da vida.

Isso demonstra um total desespero da mídia por mais e mais atenção, usando do desrespeito e do sensacionalismo para chegar ao seu sórdido “objetivo”.

O que não faz sentido é: pra que fazer isso ?! A mídia já não influencia demais a população ? Já não dita todas as regras, de vestuário, culinária, entre outros fatores do cotidiano de todos ? Então pra que fazer o ridículo, e querer expor a vida de todos de um modo extremo ?



 Também há o caso de falta de ética com o interlocutor. Casos onde a mídia leva ao máximo a falta de respeito com quem acompanha qualquer tipo de atração na TV, ou até mesmo nas revistas. Cenas fortes, imagens de pessoas acidentadas, sexo em horários em que crianças estão acordadas, falsas histórias sobre criminosos, que aterrorizam a população, entre outras matérias, que demonstram que a mídia não se importa com nada além dela mesma, do dinheiro, de querer estar na frente, sem perceber que é ela que depende do interlocutor, e mesmo assim não tem um pingo de respeito.